AETOTAL

  • Branding
  • Inovação
  • Estratégia
  • Gestão
  • Resultados

A Unidade de Arquitetura Funcional da AE Total promove as mais significativas transformações no PDV.

A Arquitetura Funcional tem um propósito absolutamente comercial: fomentar negócios, ampliar unidades produtivas, redimensionar espaços, avaliar e aumentar a produtividade, melhorar a experiência do usuário (UX) em contato com mercadorias expostas, dar melhor forma e função aos espaços comerciais já existentes. Nosso motor está na Metodologia PAR (percepção-análise-resposta), que mapeia os estímulos existentes, avalia e readequa as soluções, oferecendo um projeto melhor e mais moderno para o espaço.

Nossos principais desafios vêm da indústria, dos ‘key-accounts’, dos diversos canais de distribuição, de franquiadores-master e de empreendedores em diversos segmentos de mercado.

O princípio comum aos projetos: 'branding'. (Sim, de novo ele, levando a identidade de marca ao PDV).

As principais soluções e projetos inovadores para o PDV passam pelo ‘branding‘. Levar a identidade de marca para os ambientes comerciais fortalece a experiência do usuário, que encontra seus pontos de referência e interage melhor em um dos ambientes mais críticos do cenário comercial. Como por exemplo, o PDV do varejo, um ambiente de luta corpo-a-corpo onde diversas marcas dividem espaços concentrados. O tempo de escolha é minúsculo, tudo precisa acontecer rapidamente para ser produtivo para o consumidor e também para a loja. Por isso, organização, sinalização adequada, conforto visual, navegação aprimorada pelos espaços e corredores, tudo pode ser estudado e melhorado.

Você sabe quais são as principais soluções aplicadas aos espaços comerciais?

• Store in store – virtualmente, ‘loja dentro de uma loja’. Permite criar um ambiente único e diferenciado dentro de um ambiente maior. Pode-se trazer a identidade visual de marca para um corredor, um espaço definido, aumentando o foco em áreas de baixo faturamento;
• Projeto de Visibilidade – são estudos para melhorar a identidade de marca em um espaço definido, através da inserção de elementos e materiais de comunicação visual e sinalização;
• Readequação de frente de caixa – posicionamento, reposicionamento, readequação de portfólio e sortimento de produtos de venda mais impulsiva, análise e melhoria em equipamentos (expositores), sinalização, etc, para um dos pontos mais críticos do varejo: a frente de caixa. Torna esta área também mais produtiva, elevando o faturamento;
• Readequação de fila única – como a frente de caixa, é também um espaço crítico que pode ser melhorado em termos de faturamento, com análise de produtividade dos caixas, do fluxo de consumidores, da orientação espacial, sinalização, portfólio e sortimento de produtos, etc;
• ‘Layoutização’ (ou leiautização) – é o estudo que, eventualmente sem alterar as estruturas expositoras, pode melhorar substancialmente a organização das categorias de produtos (sua ordem de influência, impulsividade, lógica de exposição), observando o fluxo dos consumidores, equilibrando os pontos ‘frios’ e ‘quentes’, potencializando o autosserviço;
• Mobiliários especiais – a análise dos projetos citados acima muitas vezes demanda novas soluções de exposição, de mobiliários. É possível reavaliar materiais, espaços, disposições, volumes, inovando a forma de se acondicionar e expor produtos, melhorando a ergonomia e a produtividade no reabastecimento;
• Identidade de redes e franquias – assim como a marca e sua identidade, essa linguagem visual deve ser expandida para locais, espaços, mobiliários, criando cenários interativos com a melhor experiência do usuário possível;

Vamos falar?